​© 2017 - Ieda de Oliveira

  • White Blogger Icon
  • White Facebook Icon
  • White Instagram Icon
  • White Twitter Icon
  • White YouTube Icon

LIVROS / O QUE É QUALIDADE EM ILUSTRAÇÃO NO LIVRO INFANTIL E JUVENIL: COM A PALAVRA O ILUSTRADOR

Texto: Ieda de Oliveira

Editora: DCL

1ª edição: 2008
ISBN: 9788536803784
Acabamento: Brochura

Páginas: 216
Formato: 13,5 x 20,5

Definir o que é qualidade em ilustração de livros de literatura infantil e juvenil não é tarefa fácil. No entanto, Ieda de Oliveira, doutora em Letras e especialista em literatura infantil e juvenil, reuniu um time de conceituados ilustradores brasileiros e portugueses para discorrer sobre o assunto, por meio de artigos e depoimentos. Uma obra-prima ilustrada pelas palavras dos artistas.

O livro, composto de artigos, depoimentos e imagens, conta com a presença de André Neves, Ângela Lago, Ana Rachel, Ana Terra, Ciça Fittipaldi, Cristina Biazetto, Gémeo Luis (Portugal), João Vaz (Portugal), Márcia Széliga, Marcelo Ribeiro, Marilda Castanha, Maurício Veneza, Nélson Cruz, Odilon Moraes, Regina Yolanda, Renato Alarcão, Ricardo Azevedo, Rosinha Campos, Rui de Oliveira, Thais Linhares e Teresa Lima (Portugal). A programação visual ficou a cargo de Ana Sofia. 


APRESENTAÇÃO


Iniciei, em 1993, na UFRJ, como parte de uma especialização em Literatura Infantil e Juvenil, uma pesquisa no campo da Análise Semiolingüística do Discurso, do teórico francês Patrick Charaudeau. Percebi então que o conceito de contrato de comunicação, por ele proposto, poderia fornecer fundamentação teórica para resolver um problema que sempre me intrigara: o de pesar sobre a Literatura Infantil e Juvenil a crença, de alguns, de que ela seria “menor” do que a produzida para adultos. Esses estudos resultaram numa tese de doutorado, defendida na USP em 2003, intitulada O contrato de comunicação da literatura infantil e juvenil 1, em que pude demonstrar o equívoco desse preconceito, que ignora a especificidade da qualidade estética dessa literatura.

Meu objetivo após a defesa era dar continuidade a essas reflexões sobre a questão da qualidade em Literatura Infantil e Juvenil, estendendo-a ao maior número possível de pessoas, numa linguagem simples, livre do estilo acadêmico exigido por uma tese, para que os professores do ensino fundamental e do médio, bem como o público em geral, pudessem ter acesso a elas sem dificuldades. Como escritora e como teórica, achei que o melhor caminho, além de produzir um artigo com essas características, seria dar voz a outros autores infanto-juvenis, para que pudessem, eles também, apresentar seus pontos de vista sobre o assunto. A partir, então, da pergunta “Que é qualidade em literatura infantil e juvenil?”, dirigida a consagrados escritores do Brasil e de Portugal, surgiu o livro O que é qualidade em literatura infantil e juvenil – com a palavra o escritor², que vem sendo objeto de consulta de muitos estudiosos.

Dando continuidade a esse projeto, apresento agora O que é qualidade em ilustração no livro infantil e juvenil – com a palavra o ilustrador, que traz de maneira enriquecedora ao leitor o universo da imagem no livro produzido para crianças e jovens, universo esse que, para os não iniciados, é aparentemente inacessível. De forma clara, didática e ao mesmo tempo profunda, os ilustradores trazem para o leitor, por meio dos artigos, depoimentos e imagens, seus conhecimentos teóricos e suas experiências, de maneira a fornecer um instrumento de pesquisa ao alcance de qualquer interessado no assunto.

Estão aqui reunidos pela primeira vez alguns dos nomes mais representativos da ilustração no livro infantil e juvenil do Brasil e de Portugal, que, em harmonia com os objetivos do projeto, demonstram, tanto quanto os escritores o fizeram, que a arte produzida para crianças e jovens não é “menor” que a produzida para adultos, e sim que é de outra natureza, com categorias próprias e um contrato de comunicação peculiar.

Nisso consiste o espírito deste trabalho: contribuir para que se alije de vez da produção artística para crianças e jovens qualquer vestígio de preconceito resultante da falta de informação.

O livro é dividido em duas partes: uma de artigos, organizados numa seqüência que facilita a compreensão e a visão de conjunto dos temas tratados, outra de depoimentos, em que os ilustradores respondem à pergunta: “Que é qualidade em ilustração no livro para crianças e jovens?” Artigos e depoimentos são seguidos de imagens produzidas pelos autores. Há ainda um depoimento da programadora visual do livro, esclarecendo como foi o processo de idealização do projeto gráfico.

Desejo sinceramente que este trabalho reflita o sentimento de todos os envolvidos, que é o de ser útil aos que a ele tenham acesso.

RESENHAS:

Lidiane Dutra

Maria Amélia (Blog do Livrinho)
Neide Medeiros Santos (Nas Trilhas da Literatura)